Apoios

Apoios

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

I Maratona da Romaria - 3 Serras, Lamego

Luís Morgado à esquerda e César Bernardo à direita, clique para ampliar.Realizou-se no passado domingo a I Maratona da Romaria - 3 Serras em Lamego, organizada pela Pedalaventura.pt, onde participei no percurso de 50 km, com 1300 metros verticais de acumulado, tendo feito o mesmo em 2h 46min 06seg e quase sempre na companhia de um parceiro de pedalada lamecense, o João Paulo Esperanço.

De nota maior, o facto de ter utilizado pela primeira vez a Orbea AlmaCarbon em eventos, uma hardtail que me possibilitou uma experiência bem diferente de uma FS.

Este evento foi marcado pela presença de algumas figuras importantes do ciclismo e do BTT nacional de onde se destacam Manuel Zeferino, João Marinho e José Silva, no entanto, a totalidade de participantes ficou aquém do que eu contava encontrar, notando-se principalmente a ausência de participantes da região beirã.

Dado o espírito competitivo que dominou este evento, as fotografias tiradas foram (muito) poucas, todas da autoria do Luís Morgado que me acompanhou na curta viagem até à cidade de Lamego; as existentes podem ser vistas aqui neste link.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Análise de Gráficos de Altimetria

Quando se transfere um registo de GPS de um percurso efectuado para o PC para se fazerem as análises possíveis ao mesmo, existe um caminho que sempre se toma, ver o gráfico de altimetria, mas este gráfico é, se não se criar um padrão fixo e evitando os valores automáticos que os programas acabam por usar, um autêntico engano.

Vejamos, um exemplo de 2 percursos analisados unicamente pelo gráfico de altimetria com os valores do gráfico a serem dados de forma automática pelo programa de análise.

Percurso 1:

Percurso 2:


Ao não existir um padrão fixo e único definido, pode-se dizer que ambos são parecidos em termos de altimetria.

Agora, depois de criado o já falado padrão, a análise será sem dúvida bem diferente:


Percurso 1:

Percurso 2:


A conclusão é tão obvia e simples como: a análise terá de ser feita sempre na mesma base de valores do eixo de x e de y, de outra forma o desenho formado pelo gráfico de altimetria nunca mostrará de forma correcta as diferenças existentes.