Apoios

Apoios

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Pedalar em UK – Dia 1

Se ontem disponibilizei o filme do segundo dia a pedalar pelos fantásticos, limpos, conservados e verdejantes trilhos britânicos, hoje partilho o filme do primeiro dia.

Dorking, UK

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Filme do Segundo Dia a Pedalar em UK

Antes de começar a editar os vídeos que fiz ontem durante os 60km da maratona da Campeã, Vila Real, deixo por aqui, finalmente, o filme do que foi o dia 4 de Junho de 2012 a dar ao pedal em Inglaterra, na companhia de 2 amigos!
A qualidade é a possível do/no YouTube, mas não se esqueçam de escolher a opção HD!

Peaslake MTB – César, Badocas and Caixas

Para todos aqueles que ainda não puderam ver o filme do 1º dia, fica a informação que ainda não o coloquei no YouTube, mas logo que possa… o farei!

Esta semana irei trabalhar na edição do filme do 3º BTT Vale Maravilhoso, Campeã, Vila Real e partilhá-lo com todos vocês assim que possível!

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

BTT – GoPro – Maratonas – Treinos – Douro Bike Race

Se durante os dias maiores (Verão) ainda consigo ir treinando de vez em quando a minha condição física durante a semana (de forma esporádica ao final do dia), com a chegada do tempo frio e dos dias pequenos, a minha situação profissional não me permite fazer mais nada durante a luz do dia que não seja… trabalhar!
Nesse sentido, resta-me ir usando, de acordo com a vontade e tempo possível, os rolos Tacx I-Magic (treino indoor) para não enferrujar e ao fim de semana sair para me divertir um pouco a dar ao pedal, de preferência com malta amiga ou em eventos organizados.

No Verão ainda consigo treinar para ir a eventos organizados (Maratonas), a partir de agora estes mesmo eventos serão aproveitados unicamente para treinar/manter uma condição física “jeitosa”!
Não tendo disponibilidade durante a semana para treinar, vou tentar durante este período não enferrujar em demasia, para que no início da Primavera comece a minha preparação para a minha prova de eleição em BTT, a Douro Bike Race (DBR2014) que se irá realizar nos dias 11, 12, 13 e 14 de Setembro de 2014!
Mas sobre a DRB2014 falarei mais tarde!

Como serão então realizadas as Maratonas agora?
Serão encaradas com espírito de resistência e de aproveitamento para manutenção física mínima, unicamente! Sem treinar o mínimo necessário, não adianta querer fazer grandes figuras ao lado de quem treina quase diário… 3 e mais horas!
Serão também aproveitadas estas maratonas, exatamente pelo ritmo que será imposto, para ir fazendo uso da minha GoPro2 e realizar pequenos filmes de cada evento ou saída!

No passado fim de semana já recomecei a usar a GoPro2 e no domingo (foi pena não ter usado no sábado, já que essa volta merecia um grande filme!), numa voltinha pela Barragem / Albufeira do Vilar, registei vários vídeos que mais tarde editei e realizei num pequeno filme (14:46) que resumiu o que foi uma manhã de BTT:

Volta de BTT pela Barragem / Albufeira do Vilar

No próximo fim de semana irei até à localidade da Campeã, Vila Real, onde no domingo se realiza o 3º BTT Vale Maravilhoso e onde participarei na respectiva maratona, que pelo (bom) conhecimento que tenho da região, sei que me esperam dificuldades físicas apreciáveis, mas também paisagens magníficas!
Claro que a GoPro2 vai fazer o percurso comigo!

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

I Maratona BTT “Na Rota do Barro Preto”- Molelos

cartaz_molelosDepois de no domingo passado me ter deslocado até Pinhel e ter participado na V Maratona BTT Cidade de Pinhel  com as cores da equipa Team Pacto, no próximo domingo a viagem será até Molelos, onde representando  o Pedaladas C. C. de Moimenta da Beira irei participar na I Maratona BTT “Na Rota do Barro Preto”.

Apesar desta “Na Rota do Barro Preto” ir já  na 5ª edição, este ano é a primeira vez que existe um percurso a meu gosto, ou seja, é a primeira vez que o  Grupo  de Cicloturismo "Sempre a  30" decide incorporar uma Maratona num evento que era até então reservado aos Meia-Maratonistas!

Depois de uma prestação superior ao que estava a contar no fim de semana passado, vou até Molelos com o mesmo espírito com que fui à Maratona de Pinhel, pretendo continuar a ganhar ritmo de BTT, a recuperar um pouco de destreza técnica e obviamente a apurar o que vou conseguindo tirar do esforço em cima da bicicleta.

Resta esperar pelo domingo e dar ao pedal!

O resumo deste evento será aqui deixado, provavelmente,  na próxima segunda feira.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

V Maratona BTT Cidade de Pinhel

Com 2 semanas marcadas por uma gastroenterite, na primeira, e pela quase inexistência de treinos, na segunda, fui a Pinhel com o principal objectivo de entrar no ritmo do BTT (entrar no ritmo de BTT é, na minha forma de ver, o inconstante ritmo que esta modalidade obriga, com picos de esforço a aparecerem regularmente, ao contrário do ciclismo de estrada onde os andamentos são sempre mais constantes, já não falando no tipo de piso, que em BTT é quase sempre irregular e muitas vezes de difícil progressão).

grafico_pinhel
Como os primeiros 2,5 km realizados em estrada, mantive-me com facilidade no grupo da frente mas com a entrada nos trilhos e com uma descida com alguma pedra, despedi-me  dos mais apurados tecnicamente (a ausência de BTT nos últimos tempos leva a perder alguma destreza técnica, naturalmente!).
Logo ali ficou feita, de certa forma, a minha localização dentro do grupo que participava neste evento, seriam apenas realizadas algumas ligeiras alterações de classificação, onde vim a passar alguns elementos, que me tinham dado algum avanço inicial, já depois de maior parte do percurso ter sido completado.

Iniciei esta Maratona com o track do percurso com um andamento que tinha como referência, configurei-o para tentar fazer uma média de 18 km/h, era este o andamento que previra dadas as condições atuais e os objetivos que pretendia.
Perto dos 16 km, e tendo conhecimento do percurso pela análise feita sobretudo ao gráfico de altimetria, decidi forçar um pouco mais o ritmo, já que as sensações eram muito agradáveis e o patamar de esforço se mantinha confortável. Foi desta forma que vim a passar alguns elementos que se tinham destacado inicialmente e tendo sentido no final da Maratona que o ritmo podia ter sido forçado ainda mais um pouco… e mais cedo!

Em resumo, fica o destaque para uma Maratona muito bem marcada, com passagem por lugares bonitos e com trilhos para todos os gostos.
Para a minha condição física e características, não era o percurso adequado, o sobe e desce era constante e eu prefiro as subidas mais longas!
Como negativo, destaco sobretudo a falta de água na meta, ainda para mais num dia muito quente!
Na Maratona existia um só abastecimento de sólidos que não me pareceu muito rico, mas penso que suficiente… penso!
Estranho também o facto de uma das ofertas no kit de participante ter sido um isqueiro!
Banhos e almoço, excelente nível!

Resumo da maratona em alguns números:
  • Distância: 61,95 Km
  • Desnível vertical: 1.089 m
  • Velocidade média: 21,7 Km/h
  • Temperatura mínima: 19ºC
  • Temperatura máxima: 30ºC
  • Cadência média de pedalada: 87 ppm

PhotoGrid_1379941741754medalha

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Maratona BTT Cidade de Pinhel 2013

BTT_PINHEL_2013Já lá vão 10 dias desde que completei a minha travessia deste ano e desde então já combati (ainda estou em fase de recuperação) uma gastroenterite, que me levou o resto das minhas reservas! É que ter ‘a pele muito encostada ao osso’ também tem um preço… e é alto!

Apesar de ainda me encontrar em fase de recuperação e sem sair à rua desde a travessia, realizei hoje a minha inscrição para participar no próximo domingo na Maratona BTT Cidade de Pinhel 2013, onde conto sobretudo divertir-me por trilhos que já pude visitar, numa edição anterior desta Maratona.

Vou representar a equipa Team Pacto, no escalão Veteranos (até parece que estou a ficar velho… eheheh!) e no percurso Maratona (as pernas pedem a Meia-Maratona, mas o que elas pedem…).
O objectivo é pedalar sem pressão, ‘rolar pernas’ e entrar de novo no ritmo do BTT, já que as classificações não são aquilo que me preocupam (claro que as cores do equipamento me “obrigam” a não ser o último, mas daí para cima, qualquer que seja o ‘posto’, já serve! lol)!

Esta semana vou tentar fazer uns treinos em rolos e sair para uma voltinha na rua no sábado à tarde, visto que a noite já chega muito cedo e para quem trabalha de segunda a sexta todo dia e ao sábado de manhã, os rolos são a opção, penosa diga-se, que se consegue arranjar!

Conto estar de volta ao blogue na próxima semana, com o resumo da Maratona BTT Cidade de Pinhel 2013!

sábado, 7 de setembro de 2013

A Aventura a Santiago de Compostela, Ir… e Voltar!

Pela segunda vez, realizei o Caminho Português de Santiago!

A primeira foi há já 6 anos atrás, quando num fórum de BTT se criou um grupo para realizar tal aventura!

Desta vez apenas fomos 2, apenas e tão só 2 amigos!

Já tínhamos pensado noutra travessia, mais longa, mas esta para 'começar' pareceu bastante adequada!

Iniciámos o nosso Camiño em Lavadores - Vila Nova de Gaia, passámos pela Sé Catedral do Porto e daí seguimos as Setas Amarelas que guiam os peregrinos até à Catedral do Apóstolo Santiago Maior, tendo nós concluído este primeiro troço em Ponte de Lima.

Nesta primeira etapa foram completados 96,8 km com 1208 m D+, percurso este que inclui muito empedrado, o que em bicicletas HT se chega a tornar um pouco desconfortável!
Tal como já mencionado, ficamos em Ponte de Lima, instalámo-nos na Pousada da Juventude e pudemos passar a tarde a descansar e a desfrutar de uma cidade muito simpática, bonita e acolhedora!

01020304050607
Segundo dia, segunda etapa!

Tal como se esperava, a etapa mais complicada, quer em termos técnicos como físicos, começou bem cedo de forma a podermos enfrentar a famosa subida da Labruja pela fresca, neste dia foram completados 103,6 km com 1782 m D+.
Nesta etapa, que se tinha previsto concluir na cidade de Pontevedra, teve de ser prolongada até Barro (Albergue da Portela) onde pernoitamos, dado que no Albergue de Pontevedra não havia mais vagas, estava repleto de peregrinos! A informação sobre a lotação esgotada em Pontevedra foi-me dada, na subida após Arcade, por um peregrino a pé que tinha iniciado a sua aventura em França rumo a Santiago e que entretanto seguia de Santiago para Fátima... valente!
O Albergue da Portela é pequeno, isolado e muito acolhedor, aqui é possível jantar com outros peregrinos, já que o responsável do Albergue acaba por ser cozinheiro e ainda de regalo faz uma Queimada depois do jantar.
Em nota de destaque, o facto de esta ter sido a única noite em que ficámos em albergues, é que o fluxo de peregrinos tem estado a tope!
Esta foi a etapa mais bonita de todas, passou-se por vários locais dignos de registo!

01020304050607
Terceiro dia, terceira etapa da Aventura!

Faltavam 55,4 km com 774 m D+ para concluirmos a primeira parte da nossa viagem e desta forma, ao final da manhã de quarta-feira chegámos à Praça da Catedral de Santiago de Compostela.
Sensação de objectivo cumprido!

010203040607
Terceiro dia..., quarta etapa!

Após o almoço em Compostela, decidimos arrancar para a segunda parte da Aventura, ou seja, como tínhamos de regressar de bike, nada melhor como adiantar caminho!
Arrancámos com objetivo de chegar até Arcade, onde tentaríamos pernoitar num dos albergues privados, mas uma avaria no desviador dianteiro da bike do meu parceiro levou-nos a ficar por Caldas de Reis, o que acabou por se traduzir em apenas 37 km com 320 m D+ completados.
A dormida foi num quarto alugado, já que tal como já disse anteriormente, as vagas em albergues escasseavam por todo o lado!
No total, neste terceiro dia realizámos 92,4 km com 1094 m D+.

010203
Quarto dia, quinta etapa; um dia bem molhado!

Arrancámos de Caldas de Reis sob a ameaça de chuva e com a temperatura bem mais baixa do que aquilo que tinha sido até então, onde o calor por vezes se tornou quase insuportável!
O nosso destino era inicialmente Ponte de Lima, onde pensávamos passar a noite, mas a realização das Feiras Novas na cidade, deixaram-nos sem opção de dormida, o que nos obrigou a alterar o percurso e o destino final, que passou então a ser Caminha.
Com passagem pela cidade de  Vigo, onde chovia copiosamente, Baiona e A Guarda, fizemos toda a viagem junto à Costa galega. Chegados à margem espanhola do Rio Minho, apanhámos o Ferry que nos transportaria até Caminha, onde, depois de 117,3 km com 1069 m D+, numa pensão local nos acomodámos!

010203040506
Quinto dia, sexta e última etapa!

Com o sol novamente a brilhar, arrancámos de Caminha para a derradeira etapa da Aventura, restavam tão só 113,8 km com 715 m D+ para concluir esta semana carregada de pedalada.
Se houve momentos ‘de marca’, este dia teve um, logo ao fim de poucos quilómetros, quando na passagem por Vila Praia de Âncora, volto a encontrar o peregrino que vinha desde França a pé, sim, o mesmo... incrível!
Com passagem por V. P. Âncora, Viana do Castelo, Esposende, Póvoa de Varzim (onde em alcatrão furei o pneu traseiro, mas com o liquido selante a resolver o assunto, tal como sua obrigação!) e Porto, entre outras localidades, chegámos ao ponto de onde tínhamos saído 4 dias antes, na Praia de Lavadores – Vila Nova de Gaia!

0102030405


Foram no total 523,8 km com 5868 m D+, em 5 dias repletos de acontecimentos e momentos que ficam registados para sempre!
Um abraço especial ao meu grande amigo Carloni (Carlos Ferreira), que comigo partilhou esta marcante aventura e daqui deixar-lhe uma sincera palavra de parabéns e apreço pelo patamar que atingiu, visto que num passado não muito distante era alguém em que a atividade física em desporto era... jogar consola! ;)

Para mim, foi reviver uma aventura que em 2007 me marcou e que me levou a ver o BTT de forma diferente!

Foi bom, gostei e já tenho saudades!

IMG_0371

domingo, 18 de agosto de 2013

Ida à Torre… e regressar!

Com o meu regresso ao ciclismo, regressou também a vontade de fazer quilómetros e dessa forma desfrutar em cima da bike o máximo possível.

O facto de estar a decorrer a Volta a Portugal em bicicleta (que terminou hoje em Viseu) e de eu estar a gozar mais alguns dias de férias, aproveitei para pedalar com o ‘pretexto’ da Volta.
No domingo passado fui até à Sra. da Graça a solo (último artigo publicado no blogue) e para esta sexta-feira tinha também previsto mais uma saída a solo em direção ao Alto da Torre, algo que acabou por sofrer alterações.

Numa visita a Amarante a meio da semana, que se desenvolveu para um encontro com um amigo (Zé Silva), aproveitei para desafiar o mencionado a fazer-me companhia na tirada desde Moimenta da Beira até ao ponto mais alto de Portugal continental.
Ele acabou por aceitar o desafio e, já na quinta-feira à noite durante o jantar em minha casa, a falar sobre a saída que iríamos realizar no dia seguinte, resolvemos não sacrificar a nossa motorista de serviço (a Cristina), que teria de nos ir buscar à Torre, e decidimos ir e voltar de bike.
Se inicialmente pareceu uma loucura, tornou-se num desafio, num desafio que acabou por se concretizar!

Dados do dia: 266,5 km com 4.434 m D+ em 10h23m a pedalar!

Não é preciso escrever muito mais sobre tal épico dia, ficam algumas fotos, o mapa do percurso e o gráfico de altimetria, onde devo dar destaque ao facto de que a escala de altitude ser de 500 em 500 metros!

Fica também uma palavra de agradecimento para um grupo de pessoas desconhecidas que com muita simpatia e enorme disponibilidade, nos convidaram a comer e a beber na sua “barraca”, já na nossa parte descendente da Serra da Estrela!

gráfico_torreSem Título2013-08-16 20.47.162013-08-16 20.48.212013-08-16 09.19.052013-08-16 11.28.262013-08-16 12.20.432013-08-16 13.30.122013-08-16 13.37.482013-08-16 13.37.582013-08-16 13.38.232013-08-16 13.52.002013-08-16 13.52.322013-08-16 14.42.572013-08-16 15.08.202013-08-16 15.11.482013-08-16 15.11.552013-08-16 15.19.122013-08-16 20.45.36