Apoios

Apoios

terça-feira, 24 de maio de 2016

Volta à (Serra da) Estrela desde Moimenta da Beira

O que é a Volta à Estrela desde MBR?!

É simplesmente arrancar de Moimenta da Beira em bicicleta de manhã e chegar a Moimenta da Beira ao final do dia, visitando e passando pela Torre na Serra da Estrela


A ideia, o porquê, o propósito!

Em Agosto de 2013 combinei com um amigo irmos de bicicleta desde Moimenta da Beira até à Torre (Serra da Estrela) e aí vermos a chegada da etapa da Volta Portugal em Bicicleta desse ano.
Iríamos de bicicleta e viríamos de carro, já que a ideia era a Cristina sair de carro mais tarde para nos “apanhar” algures perto de Seia. Teríamos nós somente de no final da etapa fazer a descida ao encontro da Cristina.
Na véspera desse dia, enquanto grelhava a carne para o jantar nas traseiras de casa e colocava a conversa em dia com o Zé, a Cristina aparece e disse-nos que era com algum custo que nos ia buscar, já que ia sozinha e acabava por ser aborrecido. Sem pensar muito bem naquilo que disse, o Zé disparou, “não te preocupes, nós vamos de bicicleta e voltamos!”. Se a saída dele foi sem pensar, a minha saiu da mesma forma, “é isso mesmo, conforme vamos, voltamos!”.
Breves instantes depois percebemos a loucura que tínhamos ali criado em ideia, tornou-se então um desafio de superação, desafio que preparado em cima da hora acabou por se revelar uma verdadeira aventura de gente dura... e de pouco juízo!

Depois de concluída tão inesperada aventura (com 266 km e 4.434 m D+), fiquei sempre com aquela vontade de repetir, mas de mês para mês, de ano para ano, foi preciso chegar a Maio de 2016 para na companhia de outro amigo, não só repetir, mas agravar um pouco mais a volta original!

21 de Maio, 6h30 da manhã e estou à porta de casa à espera que o Castela chegue, iríamos os dois iniciar esta louca aventura!

Arrancámos de minha casa às 6h50, rumo ao primeiro ponto de paragem, seriam 76 km até Freixedas, onde numa modesta padaria de aldeia pudemos desfrutar de um Abatanado e de uns fantásticos Pasteis de Feijão.
Aqueles 6 Pasteis de Feijão estavam mesmo no ponto!



Com o estômago mais composto, seguimos até à Sé Catedral da Guarda onde parámos para a fotografia da praxe e daí seguimos para Manteigas, onde tínhamos uma esparguete com bifes de frango reservada.



Desde Freixedas que o vento se fazia sentir de forma pouco simpática, preferencialmente de frente e intenso, pelo que os 139 km que tínhamos nas pernas em Manteigas já pesavam qualquer “coisinha”.





De barriga (demasiadamente) cheia seguimos pelo Vale Glaciar em busca do cimo da Serra da Estrela, sempre com o vento intenso e de frente, o que não ajudava em nada este duro percurso. Com paragem a meio da subida para reabastecer os bidons de água, chegamos finalmente à desconfortável Torre.
Temperatura baixa, ainda a existência de neve e um vento arrasador, fez-nos sair dali o mais rápido possível.




Passando pelo Sabugueiro e Seia, chegamos a um restaurante em Pinhanços.
Carregávamos já praticamente 200 km e quase 80 faltavam até ao destino final! Aí comi uma excelente Sandes de Presunto com Queijo da Serra, que completei com uma generosa fatia de Bolo de Bolacha (pelas sobremesas que pudemos comer, vale a pena ir a este Restaurante!)




Inicialmente previsto passarmos pela Senhora da Lapa (Sernancelhe), decidimos desviar um pouco o trajeto inicialmente pensado e ao destino chegamos com 276 km e 4.801 m D+.





Foi isto uma loucura?!

Sim, realmente foi, mas como o classificar quando a 18 de Junho o repetir?!

Sem comentários: